quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Inquietudes: All Star




Eu não tenho nem palavras para começar a descrever a solidão que ela sentiu naquele momento, olhando para seu par surrado de All Star.
A solidão se grudava a ela tal qual carrapicho mais teimoso e espalhava-se por todas as frestas.
O buraco raso no chão a sua frente, por um mistério cruel da física, parecia guardar toda a sua vida ou parte essencial dela.
Alguns a olhavam, perguntando-se por que não chorava, mas isso só aconteceu quando o primeiro punhado de terra atingiu o pai.
A partir de então as pessoas sentiram certo alívio, perante a naturalidade daquilo, mas ninguém a abraçou. Tampouco disfarçaram os cochichos ao se darem conta de que não havia flores. Nem mesmo uma, para jogar sobre o caixão antes das pás fazerem seu trabalho.
As pás não tinham rosto, ela notou. Eram apenas ferramentas que encobriam seu pai numa morada fora do mundo.
As pás utilizavam a camisa aberta e suavam muito no esforço de terminar mais uma cova. E então compreendeu porque o buraco no chão a sua frente estava tão raso. Chorou ainda mais. Chorou de indignação ante a banalidade de tudo aquilo. Quis enfrentá-los, a todos, mesmo os bons, e dar dignidade à última morada de seu progenitor, mas olhou para os pés e eles não se moviam.
E continuaram a não se mover até o final, até todos partirem. Aquilo fazia parecer tudo um grande show e mais da metade das pessoas no veículo ela nunca tinha visto, nem seu pai, ela apostou intimamente.
Os pés continuaram colados ao chão de terra batida. Não conseguiu dar nenhum passo. Virar as costas seria o momento mais difícil de sua vida.
Ela ficou olhando para aquele par surrado de All Star - um último vestígio da adolescência - e percebeu que se sentia, na verdade, desamparada como uma criança e endurecida como um idoso.

Lembrou-se de tudo pelo que passou usando os tênis e absurdamente pensou que se soubesse onde o par de All Star a levaria, jamais o teria comprado. 

2 comentários:

Evy disse...

Que texto lindo!
E que triste. :(

Receba um mega abraço?

Bjs

Cíntia Mendes disse...

:( Abraço aceito...rs. Bjo

Postar um comentário