quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Inquietudes: Palavra de amiga



Em homenagem aos meus amigos, mesmo aqueles que nem ao menos sabem que assim os considero. Clique neste link para ouvir uma linda música enquanto lê o post.  



Para mim cada amigo conquistado é como um fôlego a mais, uma vida a mais que preenche e ensina a minha. Como um rosto conhecido que aparece numa multidão esmagadora, numa rotina que nos reduz. Nessas horas infelizmente freqüentes, quando encontro um amigo não estou mais perdida. 

Reconheço ali um pedaço de mim, uma carne da minha carne que não possui meu DNA, porém, entende meus sentimentos ou, ainda, discorda de mim, fazendo com que eu enxergue verdadeiramente quem eu sou.

Se tem algo que aprendi nestes tempos difíceis, é que nunca devemos perder a oportunidade de dizer o quanto amamos alguém. Nunca. Dizer, dizer, redizer! Assim sendo, eu amo vocês! E quero dizê-lo porque a perda não é imposta unicamente pela morte. Muitas vezes, é a vida que separa de forma irrevogável. Mesmo que haja promessas enfáticas, mesmo que não se queira e se diga “Eu vou ligar!”, “Eu vou escrever!”, “Precisamos nos encontrar!”, “Vamos nos ver!”.


Às vezes a vida é preenchida tão completamente de coisas inutilmente mais importantes, estupidamente mais urgentes, tão previsivelmente imprevisíveis... Que quando nos deparamos com o concreto das horas e dos dias, passaram-se anos. Ah, maldosos relógios e calendários que espelham nosso descaso com as coisas realmente importantes!

E para dizer-lhes o quanto vocês foram e são importantes, que lhes escrevo essa mensagem. Porque vocês me sustentaram quando eu estive caída. E tentaram me alegrar diante da minha dor, e quando a dor era insuportável e não havia mais nada que pudessem fazer, choraram junto comigo. E mesmo quando nada mais podia ser dito, souberam respeitar o silêncio, e preencheram como puderam o vazio.

Porque um amigo não é aquele que sempre tem algo bom para dizer, mas aquele que faz tudo o que está ao alcance. E às vezes tudo o que está ao alcance é te pagar um sorvete ou te abraçar olhando o infinito... Ambos admitindo a impotência diante da vida e das circunstâncias das quais ela é feita.

E quando encontrarem essa mensagem perdida nas teias do tempo, e talvez a convivência já não estiver mais tão compartilhada como antes, saibam que tudo o que disse continua fazendo sentido, porque a amizade não é feita de frequência, mas de intensidade.

Vocês são anjos para mim.

Palavra de amiga,
Cíntia Mendes.


8 comentários:

Shelei disse...

Cintia...vc é um anjo p mim! Uma pessoa especial que nunca vou esquecer!

Uma amiga q sempre vou guardar no coração...mesmo com o passar dos tempos.

E faço de suas palavras as minhas: "a amizade não é feita de frequência, mas de intensidade."

Um bj grande!

Cíntia Mendes disse...

Este texto ficou fofinho, né, She? E o melhor de tudo é que é supersincero...Bjo gata! Saudades!

Eliane Martins disse...

Lindooo amigaaaaa amoooOOOoooOO pra sempreeee!!!!!

Cíntia Mendes disse...

Eli, com certeza você foi uma das pessoas que inspirou este texto! Obrigada por estar por perto mesmo na distância! Bjo

ana flavia disse...

Oiiii tarde vendo, que estou me esforçando para estar menos ausente... suas publicações são lindas, vc é super talentosa parabéns sempre sua fã.

Cíntia Mendes disse...

Obrigada, Flávia... por ter tempo para ler minhas inquietudes! Como nos velhos tempos, lembra? Só que em vez te mostrar meu caderninho, coloco no blog! Bjs

Anônimo disse...

Que profundo!!

Val

Cíntia Mendes disse...

Obrigada, Val!

Postar um comentário