domingo, 13 de abril de 2014

Resenha Desejo à meia-noite

Título:  Desejo à meia-noite
Autora: Lisa Kleypas
Editora: Arqueiro
Série Os Hathaways, Vol. 1

Livro indicado para quem:
- Gosta de romances históricos
- Gosta de ciganos
- Gosta de histórias leves

Resumo:

Após a morte dos pais, Amelia Hathaway tomou para si a tarefa de cuidar dos quatro irmãos. Isso, e o fato de ter sofrido uma desilusão amorosa, afastaram a ideia de casamento de suas perspectivas. Até conhecer Cam Rohan. Meio cigano e meio irlandês, Cam é um homem exótico e sedutor e a atração entre eles é imediata. Mas como ambos tem apreço demais pela liberdade, tentam lutar contra esse amor com todas as forças. Será que o orgulho deixará com que eles vivam esse prazeroso e merecido amor?


Resenha: 

Difícil falar da série Os Hathaways sem remeter aos romances de banca, e isso não é de forma alguma uma crítica, pelo contrário. Eu mesma já li muitos e conheço gerações de mulheres que se tornaram ávidas leitoras por causa dos romances Júlia, Sabrina, etc. 
Desejo à meia-noite lembra esse tipo de livro, mas com uma roupagem mais moderno/luxuosa. 
O que me chamou a atenção neste livro foi que justamente eu vinha procurando uma história com ciganos, mas que fosse bem construída. Quando eu soube que era uma série, então, fiquei mais empolgada ainda!
Cada livro coloca um dos membros da família Hathaway em destaque e, em Desejo à meia-noite, o foco é Amelia Hathaway, uma independente e forte jovem que ficou responsável por sua família desde que seus pais morreram. Ela até tem um irmão mais velho, mas que vive bêbado e torrando o dinheiro da herança, então, numa das noites em que Amelia vai procurar por Leo, acaba conhecendo Cam Rohan - um meio cigano - e se apaixonam quase que imediatamente. Como ambos dão muito valor a própria independência, relutam em assumir o que sentem um pelo outro, principalmente Amelia, que além de tudo sofreu uma grande decepção amorosa. 
A história tem uma pequena face sobrenatural, envolvendo Leo, o tal irmão que vive bêbado, mas achei essa parte meio forçada e desnecessária. 
No final acontece apenas uma coisa surpreendente, mas em geral nada foge muito do esperado. 
A química do casal é boa, sobretudo quando eles estão discutindo, porque aí os diálogos ficam ainda mais interessantes. 
Os personagens secundários deram show: as tiradas irônicas de Leo, os bichinhos de Beatrix e suas confusões, além do enigmático Merripen, que é tão mau humorado que chega a ser engraçado. Já neste livro ele demonstra o quanto o seu amor por Win é grande, dando um gostinho do que será o próximo livro. 

Pg. 30 - Primeiros momentos. 
(...) Cam Rohan não pedira seu consentimento nem lhe dera chance de protestar. Ela se enrijeceu e levou as mãos ao peito dele. Ele pareceu não notar sua objeção. Sua boca era suave e insistente. Passou um dos braços em volta dela, levantando-a ligeiramente enquanto a apertava contra o seu corpo rígido. 

Pg. 462 - Rohan tentando convencer Amelia. 
- Os rons acreditam que se deve seguir o chamado da estrada e nunca voltar atrás. Pois nunca se sabe das aventuras que estão por vir.
(...)
- Então vamos seguir essa estrada e ver aonde ela nos levará. 


2 comentários:

Evy disse...

Parece ser interessante.
Uma coisa que eu gosto nessa autora são as capas dos livros, são todos lindos, né?

Bjs

Cíntia Mendes disse...

Sim, são mesmo lindas! Foi o que me chamou a atenção primeiro e as histórias dessa coleção são lindas! Com cenas eróticas, mas sem ser vulgar!
Saudades lindona!
Bjo

Postar um comentário