domingo, 8 de junho de 2014

Inquietudes: Caminhar no abismo




Caminhar no abismo

Amar é o décimo terceiro trabalho,
pois, amar, implica várias coisas:
Perdoar, o que você nunca antes 
achou capaz ser perdoado.
É perder-se num ser abstrato e íntimo.
É fazer do amor sua religião,
pois, sem ter provas para acreditar,
encontra no dia-a-dia pequenos motivos.
É querer encontrar no outro seu reflexo
e descobrir que é um ser único, irrefletido.
É caminhar no abismo de outra pessoa.
É viver o que Cassandras jamais diriam.
É percorrer atalhos, vendado e, ao retirar a venda,
saber que não pode fazer mais nada 
a não ser ir mais e mais além.

                                                               C.M.

3 comentários:

Bruh disse...

Lindo...vou querer o meu autógrafo! Lembro que vc queria publicar as suas coisas...ainda quer né?
Saudades :*
* vc tem o telefone da Ana e da Eli? Sem face, perdi contato total :(
Beijos

crislaine barboza eduardo disse...

lindo Cinthia! bjosss

Cíntia Mendes disse...

Obrigada, meninas! Querer, eu quero Bruh... mas não sei se tenho material de qualidade o suficiente para escrever um livro... Meu problema é que tenho várias ideias da cabeça, mas não tenho tempo e nem disposição para me dedicar a isso... Quem sabe um dia! Rsrsrs... Seu autógrafo estará garantido, neste caso!

Postar um comentário