domingo, 29 de junho de 2014

Resenha Toda Sua

Título: Toda sua
Autora: Sylvia Day
Editora: Paralela
Série Crossfire, Livro 1

Este livro é indicado para quem:

- Gosta de livros Hot;
- Gosta de personagens masculinos dominadores;
- Quer se distrair.

Resumo:

Eva Tramell mudou-se para Manhattan e conseguiu o emprego dos sonhos numa agência de publicidade. A última coisa que ela queria era um envolvimento amoroso, mas o encontro com Gideon Cross mudou suas convicções e abalou sua estrutura. Ele era rico, poderoso, lindo e muito, muito persistente, e não ia deixar que Eva fugisse. Duas pessoas machucadas por traumas dos passado e atordoadas por desejos incontroláveis conseguiriam manter uma relação saudável? Seria possível, enfim, ter a merecida felicidade?

Resenha:

Estou surpresa com o fato de ter gostado tanto deste livro a ponto de tê-lo lido tão rapidamente (em 01 dia). 
Não censuro quem gosta de livros Hot, alguns são mesmo bons para passar o tempo, mas este é realmente bem escrito. 
Os personagens são bons, bem construídos, inclusive os secundários. Cary Taylor é um fofo, e totalmente possível. Quer dizer, a relação entre ele e Eva é crível. Ele não vive por ela, é uma relação de ajuda mútua, com brigas normais em uma amizade e uma boa dose de realismo. 
Na verdade, acho que o que mais me cativou neste livro é que ele é possível. 
A Eva é uma pessoa estudada, vem de família rica, se veste bem, tem classe e está acostumada a circular pelas altas rodas sociais. É bem mais fácil de acreditar que uma pessoa assim chamaria a atenção de um dos 25 homens mais ricos do mundo do que uma gata borralheira qualquer. 
Ela também não é pudica, cheia de moralismo, apenas não quer complicação para sua vida devido aos seus traumas do passado. O bacana é que Gideon também tem traumas e tudo vai sendo revelado pouco a pouco para o leitor, gradualmente. 
Gideon Cross, apesar de fazer parte daquele tipo de homem clichê nos fetiches femininos - bonito, poderoso, rico, exigente -, também possui certa dose de originalidade. Possui muitas fraquezas, assume sua dependência pela Eva, não é tããããooo mega experiente nos assuntos sexuais, isto é, não é uma relação onde ele é o professor da jovem inocente. Eles aprendem juntos, curtem juntos. Isso achei bacana. 
As cenas de sexo são bem descritas. Claro, com sua dose de palavrões típicos e um desejo sexual alucinante e inacreditável, mas sem tantos exageros como estamos acostumados a ver. Nada parecia forçado, "uma desculpa para o sexo". Outra coisa legal é que a autora não precisou inventar malabarismos nem excentricidades para que as cenas sensuais fossem interessantes e quentes, apenas uma boa dose de desejo, sensualidade e criatividade. 
As únicas coisas que me deixaram desconfortável foi o fato dos diálogos estarem marcados entre aspas e não com o tradicional travessão, mas deu para acostumar. E também o final, porque acabou sem nenhuma grande chamada para o próximo livro, sem nenhum suspense. Mas o livro realmente se provou muito bom, porque mesmo assim estou numa vontade louca de continuar lendo a série. Um ponto para Crossfire. 

Pg. 37 e 38

“Não é mentira. E daí que me sinto atraída por você? A maioria das mulheres deve se sentir." (…) "Mas não estou interessada em levar isso adiante".
Então ele se virou para mim, lentamente, com um esboço de sorriso percorrendo sua boca tentadora. Sua tranquilidade e impassibilidade me deixaram ainda mais descontrolada. "Atração é uma palavra civilizada demais para…", ele percorreu com a mão o espaço entre nós, "isto.”

0 comentários:

Postar um comentário